APRESENTAÇÃO

Visitando vários blogs de decoração,conheci o blog Brincando de casinha, da Mari Mello,conforme lia aquela postagem fui vendo que os meus sonhos poderiam tornar-se realidade,"a minha realidade".E resolvi fazer este blog, que ele possa tambem te ajudar a compreender que podemos decorar nossas casas simples ,com algo possível e muito amor,fazendo com que elas ,muitas vezes pequenas,como a minha, se tornem lugares bonitos e gostosos de se estar.
Que voce se torne uma seguidora deste blog.

Um grande abraço

Tina

Seguidores

VISITEM VOCES VÃO ADORAR!!

domingo, 14 de agosto de 2011

OS IPÊS ESTÃO FLORIDOS

do meu cantinho na roça
do meu cantinho na roça

Conheci os ipês na minha infância, em Minas, os pastos queimados pela geada, a poeira subindo das estradas secas e, no meio dos campos, os ipês solitários, colorindo o inverno de alegria. O tempo era diferente, moroso como as vacas que voltam em fim de tarde. As coisas andavam ao ritmo da própria vida, nos seus giros naturais. Mas agora, de repente, esta árvore de outros espaços irrompe no meio do asfalto, interrompe o tempo urbano de semáforos, buzinas e ultrapassagens, e eu tenho de parar ante esta aparição do outro mundo. Como aconteceu com Moisés, que pastoreava os rebanhos do sogro, e viu um arbusto pegando fogo, sem se consumir. Ao se aproximar para ver melhor, ouviu uma voz que dizia: “Tira as sandálias dos teus pés, pois a terra em que pisas é santa”. Acho que não foi sarça ardente. Deve ter sido um ipê florido. De fato, algo arde, sem queimar, não na árvore, mas na alma. E concluo que o escritor sagrado estava certo. Também eu acho sacrilégio chegar perto e pisar as milhares de flores caídas, tão lindas, agonizantes, tendo já cumprido sua vocação de amor

Mas sei que o espaço urbano pensa diferente. O que é milagre para alguns é canseira para a vassoura de outros. Melhor o cimento limpo que a copa colorida. Lembro-me de um pé de ipê, indefeso, com sua casca cortada a toda volta. Meses depois, estava morto, seco. Mas não importa. O ritual de amor no inverno espalhará sementes pela terra e a vida triunfará sobre a morte, o verde arrebentará o asfalto. A despeito de toda a nossa loucura, os ipês continuam fiéis à sua vocação de beleza, e nos esperarão tranqüilos. Ainda haverá de vir um tempo em que os homens e a natureza conviverão em harmonia.

Agora são os ipês rosa. Depois virão os amarelos. Por fim, os brancos.
Cada um dizendo uma coisa diferente. Três partes de uma brincadeira musical, que certamente teria sido composta por Vivaldi ou Mozart, se tivessem vivido aqui.Primeiro movimento, “Ipê Rosa”, andante tranqüilo, como o coral de Bach que descreve as ovelhas pastando. Ouve-se o som rural do órgão




Natureza Bela

Segundo movimento, “Ipê Amarelo”, rondo vivace, em que os metais, cores parecidas com as do ipê, fazem soar a exuberância da vida.
Projeto Ipê
Terceiro movimento, “Ipê Branco”, moderato, em que os violoncelos falam de paz e esperança. Penso que os ipês são uma metáfora do que poderíamos ser. Seria bom se pudéssemos nos abrir para o amor no inverno...
Natureza Viva
Corra o risco de ser considerado louco: vá visitar os ipês. E diga-lhes que eles tornam o seu mundo mais belo. Eles nem o ouvirão e não responderão. Estão muito ocupados com o tempo de amar, que é tão curto. Quem sabe acontecerá com você o que aconteceu com Moisés, e sentirá que ali resplandece a glória divina... (Tempus Fugit, pág. 12 Rubem Alves).




Estes dias revi parte deste texto em um blog amigo,o Cidade nas quatro estações(visitem), já o conhecia, e voces sabem de quanto gosto de Rubem Alves, e como por aqui os ipês estão maravilhosamente floridos, resolvi compartilhar com voces, pela primeira vez faço uma postagem só em  dois dos meus blogs
Espero que voces, como eu, gostem deste lindo texto.
Tenham uma semana feliz!

beijinhos
Tina



15 comentários:

  1. Muito lindos e eu adoro vê-los assim... E AINDA não consigo postar lá no cantinho da roça que gosto tanto de ler! Pena! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Também amo os ipês. Aqui tenho rosa e amarelo. É fascinante vê-los floridos nesta seca. Muito obrigada pelo selinho. Estou preparando o post para ele. Beijos

    ResponderExcluir
  3. Tina querida!
    Gostar é pouco!!! Eu amo Rubem Alves e os ipês.
    Esse texto é puro encanto!
    Obrigada por partilha-lo conosco.
    Abraços e uma semana feliz!

    ResponderExcluir
  4. Ando meio sumida dos comentários, pois tive uma semana bem "hard" de trabalho, mas passei aqui por alguns motivos:
    1-porque estava com muitas saudades!
    2-porque espero que tenha tido LINDO DOMINGO DE DIAS DOS PAIS!
    3-para dizer que estou muito feliz em estar nos TOP 30 pela segunda semana seguida, no Prêmio TOP BLOG 2011!
    4-para pedir seu voto, caso você não esteja concorrendo e ache que eu mereço seu voto!
    bj Sandra
    http://projetandopessoas.blogspot.com//

    ResponderExcluir
  5. linda postagem!! e os ipes maravilhosos!

    ResponderExcluir
  6. Ah assim vc nos deixa com agua na boca de seu cantinho, parece ser tudo tão verdadeiro todos os dias ... Eu explico quero dizer que tem pessoas que tem apreço pela suas casas e objetos só quando vão receber visitas, é bom ter casa de verdade é ou não ?
    bjs

    ResponderExcluir
  7. Que bela postagem, adoro ipês! São mágicos! Lembrei de um texto do Rubens Alves, deixo para vc com carinho. Bjs. Acácia.
    “Na cidade amedrontada os ipês amarelos florescem.”
    Os ipês amarelos estão floridos de novo. Voltam sempre, no mesmo tempo, na ordem certa. Em julho florescem os ipês rosa.
    Em agosto, os amarelos.
    Em setembro, os brancos.
    De todos os mais desavergonhados são os ipês amarelos.
    Mini vulcões em erupções de alegria.
    É bom ver sua copa amarela, sem uma única folha, contra o céu azul.
    Alguns deles, fui eu que plantei.
    Mas são poucos os que se assombram e param para vê-los.
    Acho um ipê amarelo florido um milagre maior que um cego ver ou um paralítico andar.
    Então escrevi esse hai-kai:
    “Indiferentes aos olhos que não vêem, os ipês amarelos florescem...”
    AUTORIA: Rubem Alves

    ResponderExcluir
  8. Realmente sao lindos, ano passado tirar uma foto lindissima de um amarelo.
    Bjs...

    ResponderExcluir
  9. Ainda não vi Ipês brancos. Só em fotos.

    ResponderExcluir
  10. Oi Tina eu amo os ipês, tenho plantado no meu quintal um amarelo e um roxo, não vi do branco por aqui, moro em Rondônia, aqui é bem comum, mas toda vez q vejo um ipê florido vou fotografar, nunca me canso de admirá-los. Ainda quero um dia quando der referência da minha casa poder dizer: eu moro naquela casa onde tem os ipês floridos no final da rua. Já pensou que lindo!Bjs

    ResponderExcluir
  11. Oi !
    eu adoro os ipês, e gosto de fotografa-los.
    linda postagem.
    abraço!

    ResponderExcluir
  12. oi Tina,

    lindas fotos,
    amo ipês,
    tenho bonsai de um amarelo,
    as flores enfeitam
    e perfumam a nossa vida...

    beijinhos

    ResponderExcluir
  13. OI Tina
    Como são lindos
    Adorei as imagens e o texto que trouxe pra gent
    Uma lindo dia
    beijos

    ResponderExcluir
  14. Gosto muito de Rubem Alves também,aqui onde moro quase não existem Ipês,mas passeando pelo interior alguns dias atrás fotografei um,ainda no início da floração e próximo ao trilho do trem.Lindo demais.Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Bom dia Tina!
    Amei essa postagem. Cresci vendo ipês coloridas por toda cidade de Lavras. Infelizmente hoje, já não existem tantos como antes, graças a ignorância humana. Gosto muito de RA também, ele é de Boa Esperança, pertinho de Lavras. Boas lembranças daquelas terras mineiras.

    ResponderExcluir

SEUS COMENTÁRIOS ME FAZEM FELIZ